sexta-feira, 13 de junho de 2008

Cheiro de liberdade

Um céu,
um sertão
e várias estrelas.

Os olhos só enxergam
o pôr-do-sol.

Um recomeço.
Para quem nunca desistiu.

Onde falta uma certeza,
renasce a esperança.

Onde cresce o amor,
se perpetua uma eternidade.

Se hoje exalo
esse cheiro de liberdade,
foi porque ontem me embriaguei
com o brilho do seu sorriso.

Ao som de: "Luar do sertão", Catulo da Paixão Cearense

2 comentários:

  1. Aqui uma nova leitora. Gostei das tuas poesias, lindas mesmo!

    ResponderExcluir

Clicky Web Analytics